Pages

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Música na gravidez: uma seleção de canções para ouvir, cantar, relaxar e se emocionar


Sei que música é, também, uma questão de gosto. Durante a gravidez ouvi muita música, mas algumas foram marcantes. Decidi então compartilhar com você neste post bem curtinho aquelas que foram a trilha sonora para Luíza quando estava aqui dentro, e continuam sendo muito tocadas, ouvidas e cantadas agora que ela já nasceu.

Você pode criar no Youtube uma playlist das suas músicas favoritas. Assim fica fácil ouvi-las sempre e o seu bebê já vai se acostumando com elas. Não sei se você sabe, mas alguns estudos mostram que ao nascer já somos capazes de reconhecer canções que ouvimos com frequência durante a gestação.


1. Para Ouvir:
Valsa para uma Menininha (Toquinho): linda a música. Aliás, recomendo Toquinho para as futuras mamães. Tem ótimas músicas para crianças.


2. Para Cantar:
Aos Olhos do Pai (Ana Paula Valadão): diz tudo o que o seu/sua pequeno(a) precisa ouvir. Você pode aprender pra cantar para sua princesa quando nascer. Se for um príncipe, é só fazer algumas alterações na letra.


3. Para Relaxar:
Cantiga de Ninar (Villani Cortes): não é muito conhecida, mas me apaixonei por ela muito antes de sonhar em ter um bebê. Me deixava super tranquila e agora, faz isso com a Luíza também.


4. Para se Emocionar:
O Filho que eu Quero Ter (Toquinho e Vinícius de Moraes): linda! Várias vezes me peguei com o rosto cheio de lágrimas ao final.



E aí, gostou?
E não se esqueça de contar aqui no blog quais as músicas que você mais ouve, ou ouviu durante sua gravidez. Quem sabe a gente faz um outro post com a sua seleção?!?


Valsa Para Uma Menininha

De volta...e com a Luíza nos braços!

Depois de três meses de ausência, acho que agora consigo algum tempo pra escrever. Se você acompanha o blog ou já leu postagens anteriores, pode calcular e desconfiar o motivo deste período de ausência: a Luíza nasceu. Uma surpresa pra nós porque ela resolveu deixar aquele mundinho quentinho e escuro, mas muito sonoro, pra poder ver de onde vem cada som que escutava por lá exatamente um mês antes da data prevista.

Foi mais ou menos assim que aconteceu. Ganhei um ultrassom 3D de presente de aniversário (11 de junho). Quando fomos fazer descobrimos que ela estava grande demais pra ser vista desta forma, e que o meu líquido amniótico tinha ido literalmente por água abaixo. Conclusão: o meu presentinho de aniversário foi arrumar as malas pra Luíza nascer no dia seguinte e ser nosso eterno presente de Dia dos Namorados.
Aventuras e muitos momentos de tensão a parte, ela chegou bem, com 35 semanas e completamente saudável. Não precisou de UTI Neonatal, foi direto para o colinho da mamãe. Perguntei mais tarde para o pediatra, e ele confirmou que a estimulação pré-natal que realizei com a Luíza foi muito importante para que ela nascesse tão desenvolvida mesmo que um mês antes. Para mim a estimulação pré-natal representou momentos deliciosos de interação com ela na barriga. Foi incrível brincar, rir e cantar recebendo como respostas cotoveladas e pontapés (Ai, que saudade que me deu!). Para ela, além da interação com a mamãe e o papai (ele também participou), este momentos desenvolveram seus sentidos e as conexões nervosas.

Agora que estamos mais acostumadas (eu e também a Luíza) com esta rotina de mamadas, troca de fraldas, soninho, banho...e que as cólicas passaram, consigo novamente sentar pra escrever. Nesta nova fase, pretendo postar com mais frequência iniciando uma série sobre Musicalização para Bebês. Se você é uma futura mamãe, vai poder acompanhar e aproveitar melhor, fazendo com o seu filho desde o começo (isso quer dizer agora!). Se seu filho é um pouco mais crescidinho, vou chegar lá. Mas aproveite as atividades propostas nas fases anteriores. Você pode adaptá-las de acordo com o desenvolvimento do seu bebê, e ir acrescentando novas músicas também.

Acompanhe o que vem por aí. Ah, também vou ficar muito feliz se você escrever contando a sua experiência. Se fez e deu certo. Do que seu bebê gostou mais. O que foi difícil e o que foi fácil.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Estimulação Pré-natal: ajudando o cérebro do seu filho a se desenvolver desde o ventre.



Nunca tinha ouvido falar, e você?


A cada semana de gestação que passa fico mais impressionada com o milagre da vida ainda em desenvolvimento dentro de mim. Algumas semanas atrás fiz o ultrassom morfológico. Embora a Luiza não tenha colaborado muito e resolvido ficar na posição transversal bem naquele dia, o medico foi nos mostrando os diversos órgãos, medindo o tamanho dos ossinhos dos braços e da perna. Impressionante!

Mas além do desenvolvimento físico da nossa filha, fico impressionada de ver como um serzinho que vive protegido dentro de você, envolto em líquido e no escuro pode reagir com o meio externo. Se você já é mãe ou está com semanas a mais de gravidez do que eu, provavelmente vai se recordar de como o bebe começa a interagir quando ouve sua voz ou a voz do papai.

Há algumas semanas atrás, assim que deitei para dormir, percebi que a Luiza estava acordada. Meu esposo então começou a conversar com ela. Muito interessante que percebíamos que ela chutava quando ele terminava a frase, como se estivesse respondendo (aqui tem uma pontinha de pais babões, viu!). Depois ele começou a cantar com a boca bem pertinho da barriga, e foi testando. Quando cantava de um lado, eu sentia ela se mexer e chutando do lado oposto. Quando invertia o lado, a bebe também se mexia dando a impressão que estava querendo ficar com a cabeça mais pertinho de onde vinha o som. Brincamos assim, nós três por uns 15 minutos. Sem palavras!

De manhã, me lembrei que a minha irmã (que é jornalista) semanas atrás me contou sobre uma entrevista que fez com uma psicóloga. Ela deu várias sugestões de brincadeiras que você pode fazer com o bebe enquanto está na sua barriga que, além de criarem vínculos afetivos muito importantes entre pais e bebe, também desenvolvem o cérebro. Ah, não tive dúvida, fui direto ao Sr. Google ver o que encontrava a respeito.

Assim, descobri a "estimulação pré-natal". Embora no Brasil o termo não seja muito divulgado, vizinhos hermanos (Peru, Venezuela, Argentina) tem pesquisado e desenvolvido atividades neste sentido até mesmo nas consultas de pré-natal oferecidas pelo sistema público de saúde. O tema constitui uma área de estudo da psicologia que pesquisa a relação entre esta estimulação ainda no ventre, as reações e desenvolvimento da criança após o nascimento.



Estimulação Pré-natal...chega de conversa!




- O que é?
A estimulação pré-natal consiste em atividades de interação entre mães e seus bebês ainda no ventre. Embora a figura materna seja primordial na interação, esta também pode acontecer entre o bebê e o pai ou outras pessoas. As atividades desenvolvidas buscam desenvolver reações no bebê a estímulos táteis, sonoros, visuais.

- Por que fazer?
O cérebro humano é formado por células chamadas neurônios. Logo nas primeiras semanas desenvolvimento estes vão formando redes e conexões que são responsáveis por nosso raciocínio, movimentos bem como outras funções. Cada vez que se realiza a estimulação novas conexões neurais se formam. Infelizmente, desde o nascimento iniciamos a perda destas células nervosas, que vão morrendo e não se renovam. Quanto maior o número de conexões e redes formadas, menor a perda destas células. Ao longo de toda a vida, atividades físicas e mentais que realizamos são responsáveis por criar novas conexões entre nossos neurônios, e são elas que determinam nossa inteligência bem como comportamentos sociais e emocionais. As atividades de estimulação antes da concepção fazem com que os bebês criem um maior número de conexões entre os neurônios ainda dentro do útero materno. Ao nascer, eles já possuem, então, uma rede de neurônios mais desenvolvida, o que, acredita-se seja motivo de redução da perda de células nervosas no nascimento.

- Quais os benefícios?
De acordo com a pesquisa realizada na Venezuela pela Dra. Beatriz Manrique, os bebês que tiveram estimulação pré-natal tendem a exibir um maior desenvolvimento visual, auditivo e motor logo aos nascerem. Eles apresentam também maior capacidade de aprendizagem e coeficientes de inteligência mais satisfatórios. Além disso, cria-se um vínculo afetivo entre mãe, pai e bebê extremamente benéficos e que influenciam no comportamento e nas reações do bebê desde as primeiras horas de vida.
Os resultados da pesquisa dirigida pela Dra. Manrique ao longo de dezesseis anos com gestantes a partir da vigésima quarta semana de gravidez apontam para melhores resultados na conduta das mães e bebês submetidos à estimulação pré-natal. Em variáveis como comportamento durante o trabalho de parto; comportamento do bebê nos primeiros dias de vida e desenvolvimento mental e motor até o sexto ano de vida os índices do grupo foi significativamente superior em relação ao grupo de controle.

- Quando começar?
Desde as primeiras semanas de gravidez, embora a mãe ainda não perceba os movimentos e reações do feto, ele é extremamente influenciado por aquilo que acontece com ela. Seja a nível de emoções quanto de substâncias produzidas ou utilizadas pela mãe, a influência destes fatores é o motivo de tantas preocupações e cuidados no primeiro trimestre da gravidez. Por isso, acredita-se que neste período já seja possível iniciar a estimulação pré-natal através de atividades a serem desenvolvidas pela mãe, e que gerem sensações agradáveis e positivas para ela, que consequentemente serão também sentidas pelo bebê.

No segundo trimestre o bebê inicia suas interações mais perceptivas. É neste período que a mãe pode sentir os primeiros chutes e outros movimentos que vão se intensificar ao longo das próximas semanas. Durante este período também, é que o bebê começa a ouvir os sons externos e internos. Portanto, as principais atividades de estimulação concentram-se na função auditiva.

A estimulação no terceiro trimestre da gestação é mais abrangente e primordial. Nesta última etapa, o bebê é capaz de responder ao toque, além de perceber a luz. Ele também está maior o que faz com que seus movimentos sejam mais perceptíveis não somente às mães, como também a quem toque ou observe a barriga. A estimulação pré-natal neste período envolverá então cantar, contar histórias, responder aos movimentos do bebê através do toque entre outras atividades.


Em Breve
aqui no Blog!

Sugestões de atividades para você estimular o seu bebê em cada trimestre da gravidez! 









sexta-feira, 1 de março de 2013

Música gospel para bebês: lindas canções d'Ninar



Depois de algumas semanas bem agitadas, onde não consegui escrever nada, hoje tive um “desejo de grávida” irresistível: publicar no Canção de Ninar!

Essa foi uma semana muito, muito especial na minha gravidez. Senti a Luiza chutar pela primeira vez. A sensação foi um pouco diferente do que eu imaginava, bem mais sutil e “delicada”, ufa! Tomara que fique assim por bastante tempo! Mas fiquei igualmente feliz porque cheguei finalmente na tão esperada vigésima semana. Estava doida pra a Luiza começasse logo a escutar, pra gente poder ouvir música juntas.

E não é que as duas coisas (sentir chutar e ouvir) já começaram a ter certa relação! Digo isso porque a primeira e memorável vez em que percebi minha primeira filhinha chutar (na última terça-feira) foi bem no meio de uma aula de piano. Estava revisando com um aluno as músicas que ele tinha levado para tocar nas férias, e foi bem no meio da música mais animadinha que percebi a reação da minha princesinha!

Desde então, tenho ouvido e cantado pra ela muito mais do que antes.

Dando umas voltas pelo Youtube encontrei algumas músicas bem legais que você, futura mamãe ou mãe de bebê talvez também possa gostar.

Hoje a seleção é de canções de ninar de cantores/grupos de música gospel. As músicas são da cantora Aline Barros e do grupo australiano Hillsong.

Se você tem o costume de frequentar alguma igreja provavelmente já ouviu alguma dessas canções. Independente de conhecê-las ou não, são lindas! Tenho certeza de que você e o seu bebê também vão gostar. Ah, e são tão incrivelmente relaxantes que pode ser perigoso ouvi-las ao volante, por exemplo!

O efeito vale para os pequenininhos e os grandões também...Tem um futuro papai aqui do meu lado que está em sono profundo desde que comecei a selecionar as músicas e escrever este post!



Aline Barros (instrumental) para Bebês - completo!



Hillsong - Hosanna (lindo!)
 


Hillsong - All I need is You
 


Hillsong - Here I am to worship

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Estudo mostra relação entre a música e o desenvolvimento da leitura e escrita em pré-escolares.



Estudo realizado pela Faculdade de Educação da Universidade de Buffalo (Nova Iorque – EUA) mostra a importância da educação musical para o desenvolvimento do vocabulário em crianças em idade pré-escolar.

Dando uma passeada pelo Facebook hoje a tarde, encontrei este link para a reportagem que fala a respeito da relação entre música e desenvolvimento da leitura e escrita em crianças em idade pré-escolar.

Durante dois anos os pesquisadores americanos investigaram o desenvolvimento de 165 crianças cujos professores generalistas (o professor da turma, mesmo!) possuíam treinamento musical e ensinavam música diariamente em sala de aula.

De acordo com o artigo, “os resultados mostraram que a instrução musical aumentou significativamente o vocabulário oral das crianças e a compreensão gramatical”.

A coordenadora da pesquisa: Dra. Maria Runfola afirma que “música é uma forma das crianças aprenderem ritmo e rima do texto, serem expostas a um novo vocabulário e aprenderem a discriminar uma variedade de sons”.

O resultado da pesquisa serviu, principalmente, para reforçar aos educadores e gestores escolares a importância do investimento na formação musical dos professores bem como nas aulas de música. O estudo mostrou um crescimento considerável nos índices alcançados por essas crianças no teste aplicado anualmente pelo governo norte-americano, o que, naquele país, classifica a escola e permite que esta tenha mais ou menos recursos financeiros.

Apesar de focar na aprendizagem musical dentro da escola, Runfola também menciona que os pais devem fazer parte deste processo e podem ajudar no desenvolvimento musical dos filhos. Segundo ela “pais deveriam tomar nota destes resultados e encorajar seus filhos a ouvir uma variedade de música de gravações e especialmente ao vivo (...) Além disso, os pais deveriam interagir musicalmente com os filhos, da mesma forma que interagem usando a linguagem falada. No mínimo, eles deveriam utilizar rimas de bebês e dançar com eles com a música do rádio, TV e gravações”.

E você, como interage com seu filho através da música? Mesmo que ele ainda seja bem pequenininho, tenha certeza de que esta interação fará muito bem pra vocês dois.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Música na gravidez: uma seleção de canções para ouvir, cantar, relaxar e se emocionar

Postado por Lucila Andrade às 17:02 0 comentários

Sei que música é, também, uma questão de gosto. Durante a gravidez ouvi muita música, mas algumas foram marcantes. Decidi então compartilhar com você neste post bem curtinho aquelas que foram a trilha sonora para Luíza quando estava aqui dentro, e continuam sendo muito tocadas, ouvidas e cantadas agora que ela já nasceu.

Você pode criar no Youtube uma playlist das suas músicas favoritas. Assim fica fácil ouvi-las sempre e o seu bebê já vai se acostumando com elas. Não sei se você sabe, mas alguns estudos mostram que ao nascer já somos capazes de reconhecer canções que ouvimos com frequência durante a gestação.


1. Para Ouvir:
Valsa para uma Menininha (Toquinho): linda a música. Aliás, recomendo Toquinho para as futuras mamães. Tem ótimas músicas para crianças.


2. Para Cantar:
Aos Olhos do Pai (Ana Paula Valadão): diz tudo o que o seu/sua pequeno(a) precisa ouvir. Você pode aprender pra cantar para sua princesa quando nascer. Se for um príncipe, é só fazer algumas alterações na letra.


3. Para Relaxar:
Cantiga de Ninar (Villani Cortes): não é muito conhecida, mas me apaixonei por ela muito antes de sonhar em ter um bebê. Me deixava super tranquila e agora, faz isso com a Luíza também.


4. Para se Emocionar:
O Filho que eu Quero Ter (Toquinho e Vinícius de Moraes): linda! Várias vezes me peguei com o rosto cheio de lágrimas ao final.



E aí, gostou?
E não se esqueça de contar aqui no blog quais as músicas que você mais ouve, ou ouviu durante sua gravidez. Quem sabe a gente faz um outro post com a sua seleção?!?


Valsa Para Uma Menininha

Postado por Lucila Andrade às 15:18 0 comentários

De volta...e com a Luíza nos braços!

Postado por Lucila Andrade às 12:58 0 comentários
Depois de três meses de ausência, acho que agora consigo algum tempo pra escrever. Se você acompanha o blog ou já leu postagens anteriores, pode calcular e desconfiar o motivo deste período de ausência: a Luíza nasceu. Uma surpresa pra nós porque ela resolveu deixar aquele mundinho quentinho e escuro, mas muito sonoro, pra poder ver de onde vem cada som que escutava por lá exatamente um mês antes da data prevista.

Foi mais ou menos assim que aconteceu. Ganhei um ultrassom 3D de presente de aniversário (11 de junho). Quando fomos fazer descobrimos que ela estava grande demais pra ser vista desta forma, e que o meu líquido amniótico tinha ido literalmente por água abaixo. Conclusão: o meu presentinho de aniversário foi arrumar as malas pra Luíza nascer no dia seguinte e ser nosso eterno presente de Dia dos Namorados.
Aventuras e muitos momentos de tensão a parte, ela chegou bem, com 35 semanas e completamente saudável. Não precisou de UTI Neonatal, foi direto para o colinho da mamãe. Perguntei mais tarde para o pediatra, e ele confirmou que a estimulação pré-natal que realizei com a Luíza foi muito importante para que ela nascesse tão desenvolvida mesmo que um mês antes. Para mim a estimulação pré-natal representou momentos deliciosos de interação com ela na barriga. Foi incrível brincar, rir e cantar recebendo como respostas cotoveladas e pontapés (Ai, que saudade que me deu!). Para ela, além da interação com a mamãe e o papai (ele também participou), este momentos desenvolveram seus sentidos e as conexões nervosas.

Agora que estamos mais acostumadas (eu e também a Luíza) com esta rotina de mamadas, troca de fraldas, soninho, banho...e que as cólicas passaram, consigo novamente sentar pra escrever. Nesta nova fase, pretendo postar com mais frequência iniciando uma série sobre Musicalização para Bebês. Se você é uma futura mamãe, vai poder acompanhar e aproveitar melhor, fazendo com o seu filho desde o começo (isso quer dizer agora!). Se seu filho é um pouco mais crescidinho, vou chegar lá. Mas aproveite as atividades propostas nas fases anteriores. Você pode adaptá-las de acordo com o desenvolvimento do seu bebê, e ir acrescentando novas músicas também.

Acompanhe o que vem por aí. Ah, também vou ficar muito feliz se você escrever contando a sua experiência. Se fez e deu certo. Do que seu bebê gostou mais. O que foi difícil e o que foi fácil.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Estimulação Pré-natal: ajudando o cérebro do seu filho a se desenvolver desde o ventre.

Postado por Lucila Andrade às 06:34 0 comentários


Nunca tinha ouvido falar, e você?


A cada semana de gestação que passa fico mais impressionada com o milagre da vida ainda em desenvolvimento dentro de mim. Algumas semanas atrás fiz o ultrassom morfológico. Embora a Luiza não tenha colaborado muito e resolvido ficar na posição transversal bem naquele dia, o medico foi nos mostrando os diversos órgãos, medindo o tamanho dos ossinhos dos braços e da perna. Impressionante!

Mas além do desenvolvimento físico da nossa filha, fico impressionada de ver como um serzinho que vive protegido dentro de você, envolto em líquido e no escuro pode reagir com o meio externo. Se você já é mãe ou está com semanas a mais de gravidez do que eu, provavelmente vai se recordar de como o bebe começa a interagir quando ouve sua voz ou a voz do papai.

Há algumas semanas atrás, assim que deitei para dormir, percebi que a Luiza estava acordada. Meu esposo então começou a conversar com ela. Muito interessante que percebíamos que ela chutava quando ele terminava a frase, como se estivesse respondendo (aqui tem uma pontinha de pais babões, viu!). Depois ele começou a cantar com a boca bem pertinho da barriga, e foi testando. Quando cantava de um lado, eu sentia ela se mexer e chutando do lado oposto. Quando invertia o lado, a bebe também se mexia dando a impressão que estava querendo ficar com a cabeça mais pertinho de onde vinha o som. Brincamos assim, nós três por uns 15 minutos. Sem palavras!

De manhã, me lembrei que a minha irmã (que é jornalista) semanas atrás me contou sobre uma entrevista que fez com uma psicóloga. Ela deu várias sugestões de brincadeiras que você pode fazer com o bebe enquanto está na sua barriga que, além de criarem vínculos afetivos muito importantes entre pais e bebe, também desenvolvem o cérebro. Ah, não tive dúvida, fui direto ao Sr. Google ver o que encontrava a respeito.

Assim, descobri a "estimulação pré-natal". Embora no Brasil o termo não seja muito divulgado, vizinhos hermanos (Peru, Venezuela, Argentina) tem pesquisado e desenvolvido atividades neste sentido até mesmo nas consultas de pré-natal oferecidas pelo sistema público de saúde. O tema constitui uma área de estudo da psicologia que pesquisa a relação entre esta estimulação ainda no ventre, as reações e desenvolvimento da criança após o nascimento.



Estimulação Pré-natal...chega de conversa!




- O que é?
A estimulação pré-natal consiste em atividades de interação entre mães e seus bebês ainda no ventre. Embora a figura materna seja primordial na interação, esta também pode acontecer entre o bebê e o pai ou outras pessoas. As atividades desenvolvidas buscam desenvolver reações no bebê a estímulos táteis, sonoros, visuais.

- Por que fazer?
O cérebro humano é formado por células chamadas neurônios. Logo nas primeiras semanas desenvolvimento estes vão formando redes e conexões que são responsáveis por nosso raciocínio, movimentos bem como outras funções. Cada vez que se realiza a estimulação novas conexões neurais se formam. Infelizmente, desde o nascimento iniciamos a perda destas células nervosas, que vão morrendo e não se renovam. Quanto maior o número de conexões e redes formadas, menor a perda destas células. Ao longo de toda a vida, atividades físicas e mentais que realizamos são responsáveis por criar novas conexões entre nossos neurônios, e são elas que determinam nossa inteligência bem como comportamentos sociais e emocionais. As atividades de estimulação antes da concepção fazem com que os bebês criem um maior número de conexões entre os neurônios ainda dentro do útero materno. Ao nascer, eles já possuem, então, uma rede de neurônios mais desenvolvida, o que, acredita-se seja motivo de redução da perda de células nervosas no nascimento.

- Quais os benefícios?
De acordo com a pesquisa realizada na Venezuela pela Dra. Beatriz Manrique, os bebês que tiveram estimulação pré-natal tendem a exibir um maior desenvolvimento visual, auditivo e motor logo aos nascerem. Eles apresentam também maior capacidade de aprendizagem e coeficientes de inteligência mais satisfatórios. Além disso, cria-se um vínculo afetivo entre mãe, pai e bebê extremamente benéficos e que influenciam no comportamento e nas reações do bebê desde as primeiras horas de vida.
Os resultados da pesquisa dirigida pela Dra. Manrique ao longo de dezesseis anos com gestantes a partir da vigésima quarta semana de gravidez apontam para melhores resultados na conduta das mães e bebês submetidos à estimulação pré-natal. Em variáveis como comportamento durante o trabalho de parto; comportamento do bebê nos primeiros dias de vida e desenvolvimento mental e motor até o sexto ano de vida os índices do grupo foi significativamente superior em relação ao grupo de controle.

- Quando começar?
Desde as primeiras semanas de gravidez, embora a mãe ainda não perceba os movimentos e reações do feto, ele é extremamente influenciado por aquilo que acontece com ela. Seja a nível de emoções quanto de substâncias produzidas ou utilizadas pela mãe, a influência destes fatores é o motivo de tantas preocupações e cuidados no primeiro trimestre da gravidez. Por isso, acredita-se que neste período já seja possível iniciar a estimulação pré-natal através de atividades a serem desenvolvidas pela mãe, e que gerem sensações agradáveis e positivas para ela, que consequentemente serão também sentidas pelo bebê.

No segundo trimestre o bebê inicia suas interações mais perceptivas. É neste período que a mãe pode sentir os primeiros chutes e outros movimentos que vão se intensificar ao longo das próximas semanas. Durante este período também, é que o bebê começa a ouvir os sons externos e internos. Portanto, as principais atividades de estimulação concentram-se na função auditiva.

A estimulação no terceiro trimestre da gestação é mais abrangente e primordial. Nesta última etapa, o bebê é capaz de responder ao toque, além de perceber a luz. Ele também está maior o que faz com que seus movimentos sejam mais perceptíveis não somente às mães, como também a quem toque ou observe a barriga. A estimulação pré-natal neste período envolverá então cantar, contar histórias, responder aos movimentos do bebê através do toque entre outras atividades.


Em Breve
aqui no Blog!

Sugestões de atividades para você estimular o seu bebê em cada trimestre da gravidez! 









sexta-feira, 1 de março de 2013

Música gospel para bebês: lindas canções d'Ninar

Postado por Lucila Andrade às 13:09 0 comentários


Depois de algumas semanas bem agitadas, onde não consegui escrever nada, hoje tive um “desejo de grávida” irresistível: publicar no Canção de Ninar!

Essa foi uma semana muito, muito especial na minha gravidez. Senti a Luiza chutar pela primeira vez. A sensação foi um pouco diferente do que eu imaginava, bem mais sutil e “delicada”, ufa! Tomara que fique assim por bastante tempo! Mas fiquei igualmente feliz porque cheguei finalmente na tão esperada vigésima semana. Estava doida pra a Luiza começasse logo a escutar, pra gente poder ouvir música juntas.

E não é que as duas coisas (sentir chutar e ouvir) já começaram a ter certa relação! Digo isso porque a primeira e memorável vez em que percebi minha primeira filhinha chutar (na última terça-feira) foi bem no meio de uma aula de piano. Estava revisando com um aluno as músicas que ele tinha levado para tocar nas férias, e foi bem no meio da música mais animadinha que percebi a reação da minha princesinha!

Desde então, tenho ouvido e cantado pra ela muito mais do que antes.

Dando umas voltas pelo Youtube encontrei algumas músicas bem legais que você, futura mamãe ou mãe de bebê talvez também possa gostar.

Hoje a seleção é de canções de ninar de cantores/grupos de música gospel. As músicas são da cantora Aline Barros e do grupo australiano Hillsong.

Se você tem o costume de frequentar alguma igreja provavelmente já ouviu alguma dessas canções. Independente de conhecê-las ou não, são lindas! Tenho certeza de que você e o seu bebê também vão gostar. Ah, e são tão incrivelmente relaxantes que pode ser perigoso ouvi-las ao volante, por exemplo!

O efeito vale para os pequenininhos e os grandões também...Tem um futuro papai aqui do meu lado que está em sono profundo desde que comecei a selecionar as músicas e escrever este post!



Aline Barros (instrumental) para Bebês - completo!



Hillsong - Hosanna (lindo!)
 


Hillsong - All I need is You
 


Hillsong - Here I am to worship

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Estudo mostra relação entre a música e o desenvolvimento da leitura e escrita em pré-escolares.

Postado por Lucila Andrade às 13:34 0 comentários


Estudo realizado pela Faculdade de Educação da Universidade de Buffalo (Nova Iorque – EUA) mostra a importância da educação musical para o desenvolvimento do vocabulário em crianças em idade pré-escolar.

Dando uma passeada pelo Facebook hoje a tarde, encontrei este link para a reportagem que fala a respeito da relação entre música e desenvolvimento da leitura e escrita em crianças em idade pré-escolar.

Durante dois anos os pesquisadores americanos investigaram o desenvolvimento de 165 crianças cujos professores generalistas (o professor da turma, mesmo!) possuíam treinamento musical e ensinavam música diariamente em sala de aula.

De acordo com o artigo, “os resultados mostraram que a instrução musical aumentou significativamente o vocabulário oral das crianças e a compreensão gramatical”.

A coordenadora da pesquisa: Dra. Maria Runfola afirma que “música é uma forma das crianças aprenderem ritmo e rima do texto, serem expostas a um novo vocabulário e aprenderem a discriminar uma variedade de sons”.

O resultado da pesquisa serviu, principalmente, para reforçar aos educadores e gestores escolares a importância do investimento na formação musical dos professores bem como nas aulas de música. O estudo mostrou um crescimento considerável nos índices alcançados por essas crianças no teste aplicado anualmente pelo governo norte-americano, o que, naquele país, classifica a escola e permite que esta tenha mais ou menos recursos financeiros.

Apesar de focar na aprendizagem musical dentro da escola, Runfola também menciona que os pais devem fazer parte deste processo e podem ajudar no desenvolvimento musical dos filhos. Segundo ela “pais deveriam tomar nota destes resultados e encorajar seus filhos a ouvir uma variedade de música de gravações e especialmente ao vivo (...) Além disso, os pais deveriam interagir musicalmente com os filhos, da mesma forma que interagem usando a linguagem falada. No mínimo, eles deveriam utilizar rimas de bebês e dançar com eles com a música do rádio, TV e gravações”.

E você, como interage com seu filho através da música? Mesmo que ele ainda seja bem pequenininho, tenha certeza de que esta interação fará muito bem pra vocês dois.